Menu


Tucuruí: Cabo da PM mata vizinha com um tiro no rosto

08 DEZ 2014
08 de Dezembro de 2014
WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles


O Cabo Daniel da Polícia Militar do Pará, lotado no 13º Batalhão da PM de Tucuruí, teria realizado diversos disparos de arma de fogo em via pública, na noite deste sábado (6), o fato ocorreu próximo ao seu comércio “Panificadora Lorrana”, localizado na divisa entre os bairros São Sebastião e Luz e Liberdade, em Tucuruí, sudeste do estado.

Segundo o registro realizado por Valdirene Alves Moreira, perante a autoridade policial na Seccional de Polícia Civil de Tucuruí, que em função aos disparos realizados pelo cabo PM Daniel, sua irmã a dona de casa Maria Edina Almeida Moreira, 42 anos, que estava sentada em frente a sua casa com seu companheiro Danilo, foi baleada a queima-roupa com um tiro fatal na cabeça, que mesmo sendo socorrida ao HRT, em função ao grave ferimento, Maria Edina morreu ao dar entrada no Pronto Socorro do HRT.

A população revoltada pela ação do Cabo da PM Daniel, aglomerou-se em frente a sua panificadora, que também serve de residência, na confluência dos bairros São Sebastião e Luz e Liberdade, próximo a um campo de futebol, foi quando, rapidamente diversas viaturas da PM e uma grande quantidade de policiais chegou ao local, com a intenção de realizar a detenção do suposto homicida, e garantir que não houvesse depredação de sua residência ou mesmo um possível linchamento, mas infelizmente, o Cabo Daniel após ter cometido os disparos contra a dona de casa, evadiu-se do local do crime.

Segundo nota do 13º BPM de Tucuruí, o Cabo PM Daniel esta sendo procurado em Tucuruí e região, inclusive barreiras foram montadas em todas as saídas da cidade, para evitar sua fuga do município, todos os esforços estão sendo tomados para que sua captura ocorra no menor tempo possível.

Segundo informações dos vizinhos, o Cabo PM Daniel estaria atravessando problemas conjugais, que culminou com a separação de sua esposa. Inclusive estava de licença médica da PM para tratamento, e retornaria ao serviço nesta segunda-feira (8).

É fato, que durante todo o dia deste sábado (6), Daniel estava consumindo bebidas alcoólicas em sua residência, e por volta das 22 h, ouviu-se disparos de arma de fogo, vindo de dentro da panificadora, foi quando o militar com a arma em punho saiu de dentro do comércio gritando textualmente que, “hoje vou matar alguém”, foi quando disparou diversos tiros a esmo na rua, segundo o relato de sua irmã Valdirene Alves Moreira, o cabo ao avistar a dona de casa Maria Edina Almeida Moreira, 42 anos, moradora da Rua 1º de Maio, nº 154, bairro São Sebastião, desprotegida e sentada em frente a sua residência, juntamente com seu companheiro Danilo, passou a disparar tiros em direção da dona de casa, acertando fatalmente um tiro em seu rosto, ainda ameaçou atirar em Danilo, evadindo-se do local.

O Cabo PM Daniel, após verificar a sandice que fez, correu para dentro de seu comércio, foi quando populares amedrontados acionaram o 190 e o serviço de urgência do 192, a mulher baleada ainda chegou a ser socorrida ao Hospital Regional de Tucuruí, mas infelizmente em função a gravidade dos ferimento, Maria Edina Almeida Moreira, foi a óbito ao dar entrada no Pronto Socorro do HRT.

Foram momentos de muito pânico e de consternação, quando seus familiares ao correrem para a porta da casa, deparou-se com Maria Edina Almeida Moreira, 42 anos, natural da cidade de Cametá, alvejada com um tiro no rosto, os filhos menores se desesperaram, foram momentos de muita dor e sofrimento, todos os vizinhos e populares que se aglomeraram na frente da casa ficaram triste pelo ocorrido.

O clima ficou tenso no bairro, a população não aceitava que o fato ocasionado pelo Cabo PM Daniel, que culminou com a morte da dona de casa, ficasse impune, denunciado inclusive, que houve “cooperativismo” por parte dos militares, para facilitar a fuga do companheiro de farda, e exigiram providências enérgicas e urgentes das autoridades da PM, através do Comando Geral da PM, 13º BPM e do CPR IV, pela capturar do Cabo PM Daniel para que possa responda pelo ato de ter tirado, sem motivos aparentes, a vida de sua vizinha de apenas 42 anos, que estava desprotegida na porta de sua casa, deixando seus filhos órfãos e seus familiares e amigos enlutados.

A moradora Graça Sousa, 56 anos, indignada pela ação criminosa cometida pelo Cabo Daniel, desabafou dizendo, “quando pensamos que os policiais são para dar exemplos de segurança e cidadania, nos deparamos com uma barbárie destas, enlameando o nome da tão respeitada PM, queremos justiça por parte do Estado”.

O corpo da dona de casa foi encaminhado ao IML de Tucuruí, onde passou por necropsia e entregue aos familiares para providenciarem o funeral. O sepultamento deverá ocorrer na tarde desta segunda-feira (8), em cemitério público da cidade de Tucuruí.


Até o fechamento desta edição, o Cabo PM Daniel encontra-se foragido e o comando da PM juntamente com a Polícia Civil pede à população que, por ventura, tenham informações que possam chegar ao paradeiro do policial militar acusado, que denunciem através dos telefones: 190 ou 181.
Voltar



Tenha você também a sua rádio